O Pernambuco registrou três casos suspeitos de leptospirose provocados após o contato com as águas das enchentes que atingiram o Estado nas últimas semanas. Em Palmares, o doente está internado em um hospital particular da região. Os dois outros casos estão sendo investigados pela Secretaria Estadual de Saúde nos municípios de Vitória de Santo Antão e em Chã de Alegria.

Em Água Preta, um dos 12 municípios da Zona da Mata pernambucana em estado de calamidade pública, o prefeito Eduardo Coutinho (PSB) aguarda para amanhã a chegada de um consultor da Secretaria Estadual de Cidades que ficará responsável por começar a traçar um plano geral de realocação de parte da cidade devastada pelas enchentes.

“O governo estadual e todos nós temos pressa”, afirmou, ao lembrar que cerca de 3 mil pessoas estão desabrigadas e não podem retornar às áreas de risco onde moravam. De forma emergencial, segundo Coutinho, deverão ser construídas 800 casas no terreno de 219 hectares já desapropriado pelo governo estadual.

Em Barreiros, a população recebe assistência médica em um hospital de campanha montado pela Aeronáutica. Palmares improvisou escolas como abrigos e continua na expectativa da instalação de tendas do Exército que deverão servir de moradia provisória para famílias que perderam suas casas. Com mais de mil desabrigados, Catende, na Zona da Mata Sul, ainda não conta com abastecimento de água e energia em parte do seu território.