O diretor financeiro da Petrobras, Almir Barbassa, disse nesta terça-feira (21) que a estatal apresentou recurso administrativo junto à Agência Nacional do Petróleo (ANP), com relação à decisão da reguladora de cobrar royalties no valor de R$ 1,3 bilhão retroativos a 1998 sobre a produção de óleo no campo de Marlim.

Segundo ele, o recurso foi apresentado na última sexta-feira, prazo final para que a Petrobras recorresse da cobrança da ANP. Ele afirmou que a Petrobras não concorda com o recálculo feito pela reguladora, porque julga já ter quitado o que deve sobre o campo. "Não é possível que o valor seja reavaliado, a forma de cobrança mude e tenhamos que ficar pagando esses acréscimos a cada alteração", disse.