Tabatinga

– A Polícia Federal (PF) constatou que as plantações de coca avançam pela floresta colombiana, a menos de 100 quilômetros da região conhecida como Cabeça do Cachorro, no alto Rio Negro, no Amazonas, bem próximo a diversas aldeias indígenas. Segundo o coordenador de Projetos Especiais da PF na Amazônia e chefe da Operação Cobra (junção das siglas de Colômbia e Brasil), Mauro Spósito, as plantações estão dentro da área onde hoje atuam as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). “O grupo já domina grande parte do cultivo”, afirma, explicando que, muitas vezes, os guerrilheiros também atuam como ajudantes do narcotráfico internacional.

O plantio, segundo a PF, estaria hoje perto de Mitú, capital do Departamento de Vaupés, onde os combatentes da guerrilha têm um grande acampamento. Anteriormente, os maiores cultivos foram localizados em Barrancominas, onde os traficantes Fernandinho Beira-Mar, e Leonardo Dias Mendonça, mais conhecido como “Léo”, os dois maiores do Brasil, atuavam até 2001.