Os ataques sofridos por policiais em São Paulo e Santa Catarina nos últimos dias deixaram a Polícia Militar do Rio Grande do Norte em alerta. Hoje à tarde, o comando da instituição emitiu nota oficial orientando os militares a tentarem prevenir possíveis atentados criminosos no Estado.

“A nota tem caráter preventivo, tendo em vista esses acontecimentos no país. Recomendamos aos policiais que tenham a devida cautela, tanto no horário de trabalho quanto no período de folga. Fizemos isso para que nossos policiais fiquem em alerta”, disse o comandante-geral da Polícia Militar do RN, coronel Francisco Canindé de Araújo.

Segundo a nota, os militares precisam observar “as normas e procedimentos de segurança durante as abordagens pessoais, veículos e edificações, inclusive quanto à condução e o porte de arma de fogo quando no período de folga, bem como a utilização dos equipamentos de proteção individual durante todo o serviço ostensivo”.

A possibilidade de ataques contra militares no RN está sendo alvo de investigações sigilosas por parte da cúpula da segurança potiguar. A informação sobre o risco teria sido repassada pelos órgãos de inteligência de São Paulo e Santa Catarina.

Araújo disse que manteve recente contato com o comandante-geral da Polícia Militar de São Paulo, Roberval Ferreira França, para prestar solidariedade e apoio ao trabalho no combate aos atentados. “Não acredito que aconteçam em Natal”, disse.

Policial baleado

No final da tarde de hoje, o policial civil Valdir Freire, chefe de investigação da 8ª Delegacia de Polícia, foi baleado com cerca de dez tiros no bairro do Alecrim, zona leste de Natal. O policial aguardava um carro da corporação para voltar à delegacia quando dois homens apareceram em uma moto, desceram do veículo e dispararam contra ele.

Valdir Freire foi internado consciente no Hospital Walfredo Gurgel, o maior do RN, mas seu estado de saúde é considerado “gravíssimo” pelos médicos. Nenhum suspeito foi preso até a noite de hoje.