Brasília  – O senador João Alberto (PMDB-MA), que representa o voto do presidente do Senado, José Sarney, na executiva do partido, recorreu da decisão tomada ontem, no início da tarde, pela direção nacional, de rejeitar a proposta de emenda constitucional que permite a reeleição dos presidentes da Câmara e Senado.

Voto vencido na executiva onde Sarney foi derrotado pelo líder do partido, Renan Calheiros (AL), por 12 votos contrários à reeleição e apenas dois a favor, o senador João Alberto já encaminhou pedido de recurso ao conselho político do PMDB. A executiva deve voltar a se reunir na próxima semana para examinar o recurso e definir a data da convocação do conselho político.

Fracassou a tentativa do presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT), de apressar a decisão da comissão especial pela reeleição. O parecer favorável do relator, deputado Paes Landim (PTB-PI), não foi votado na sessão, que acabou antes do tempo previsto porque o deputado Jader Barbalho (PMDB-PA) pediu vistas.

Com isso, o presidente da comissão especial, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), foi obrigado a adiar a votação do relatório por duas sessões ordinárias. O assunto só deverá voltar à pauta da comissão na próxima terça-feira (dia 4).

Candidaturas

Outra decisão tomada pela cúpula do partido provocou repercussões no Paraná. Também foi aprovada, por unanimidade, proposta apresentada pelo senador Maguito Vilela, de Goiás, de que a Executiva envie a todos os diretórios estaduais e municipais do PMDB uma recomendação para que o partido lance candidatos próprios às prefeituras de todo o país. A Executiva Nacional do PMDB é formada por 15 membros. Do Paraná, participam o deputado federal Gustavo Fruet (terceiro vice-presidente) e o deputado federal José Borba, na condição de líder do governo na Câmara.