Reunidos na tarde desta quinta-feira, 17, em Salvador, os policiais militares da Bahia decidiram aceitar proposta do governo apresentada pela manhã e encerrar a greve iniciada nesta terça-feira, 15. A proposta foi levada aos grevistas pelo bombeiro Marco Prisco, um dos líderes do movimento, e os pontos foram discutidos com a intermediação do arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, D. Murilo Krieger. Horas antes, a Justiça Federal havia determinado o fim imediato da paralisação, sob pena de pagamento de multa diária de R$ 1,4 milhão, a pedido do Ministério Público Federal (MPF).

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública da Bahia, Salvador e a Região Metropolitana registraram a ocorrência de 39 homicídios de terça a quinta-feira. A região registra, em média, 10 homicídios a cada dois dias. Segundo a secretaria, entre os mortos estão dois policiais assassinados na periferia da capital. Um dia após o início da greve, agentes da Força Nacional de Segurança desembarcaram em Salvador para fazer o policiamento nas principais cidades da Bahia.