Uma ossada humana foi encontrada atrás do sítio do goleiro Bruno, em Esmeraldas, na região metropolitana de Belo Horizonte. No entanto, ao chegar ao local, o delegado do Departamento de Investigação de Homicídios de Proteção à Pessoa (DIHPP), Edson Moreira, que cuida do caso do desaparecimento de Eliza Samudio, constatou que a ossada era de um homem.

O goleiro Bruno é réu no caso Eliza Samudio. A vítima, que segundo a polícia foi assassinada, tentava provar na Justiça que o ex-capitão do Flamengo é pai de seu filho. O goleiro permanece preso.