A polícia cearense apreendeu ontem no Instituto Penal Paulo Sarasate (IPPS), o maior presídio do Ceará, 37 aparelhos telefônicos celulares, 24 carregadores de celular, três clips, sete baterias, 110 pedras de crack, dez papelotes de cocaína, 119 comprimidos de Artane (psicotrópico conhecido como aranha), 35 litros de cachaça artesanal, um destilador, 25 barras de ferro e 17 cossocos (armas artesanais).

O que chamou mais atenção dos policiais no balanço da operação apresentado hoje foi uma lista encontrada com os detentos que continha números de telefones celulares e de contas bancárias. A Polícia suspeita que as contas sejam de laranjas e sirvam para aplicação de golpes de dentro do presídio. O supervisor do sistema penal, coronel Taumaturgo Granjeiro, diz que o material seria usado para golpes como "seqüestro virtual" e "número premiado".

A lista será entregue ao Departamento de Inteligência da Secretaria da Segurança Pública cearense para rastreamento das contas e dos números telefônicos. Em junho deste ano, no IPPS, duas outras listas foram apreendidas com mais de 200 números telefônicos (com prefixos de 13 Estados e do Distrito Federal), além de informações sobre 32 contas bancárias.