A Polícia Civil divulgou nesta terça-feira (22) a foto de Alexsandro Bezerra da Silva, de 31 anos, o quarto suspeito de envolvimento no furto das obras "O lavrador de café", de Candido Portinari, e "Retrato de Suzanne Bloch", de Pablo Picasso, no último dia 20 de dezembro. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), a prisão temporária de Bezerra, que alugou a casa em Ferraz de Vasconcelos, na Grande São Paulo, onde as telas foram encontradas, foi decretada pela Justiça, na noite de quinta-feira.

A polícia já prendeu Robson Jesus Jordão e Francisco Lopes Lima, que participaram do furto. Foi por meio dos dois presos que os policiais da 3ª Delegacia de Crimes contra o Patrimônio conseguiram encontrar os quadros, avaliados em US$ 55 milhões, cerca de R$ 100 milhões. Moisés Manoel de Lima Sobrinho, de 25 anos, continua foragido.

Bezerra, que não tem passagens pela polícia, foi ouvido na madrugada de hoje, na sede do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic), na zona norte da capital, e confirmou que alugou a casa e que sabia da existência das telas. Ele foi indiciado por receptação e formação de quadrilha.