Um novo esquema de fraudes contra os cofres públicos, envolvendo empresas que comercializam gado e carne foi desbaratado ontem numa operação conjunta da Receita Federal e da Polícia Federal. O volume das fraudes alcança R$ 100 milhões, segundo levantamento da PF. A Operação Arroba investigou durante mais de um ano como agia a quadrilha e monitorou todos os seus passos. A Justiça Federal expediu 15 mandados de busca e apreensão no Pará e nove foram cumpridos em Castanhal.

Ao todo, foram cumpridos 25 mandados nas cidades de Belém, Castanhal, Redenção e Xinguara, além dos Estados da Paraíba, Pernambuco, Piauí e Maranhão. Cerca de 150 policiais federais e 50 auditores da Receita Federal estiveram envolvidos na operação.

A investigação constatou que os frigoríficos comercializavam gado e carne no mercado atacadista por meio de empresas "fantasmas" para sonegar o recolhimento de impostos aos cofres da União. O esquema da quadrilha consistia na transferência de obrigações mediante contratos fictícios de prestação de serviço de abate, arrendamento entre outros, para as empresas de fachada em nome de sócios "laranjas". Segundo a PF, por serem de fachada e com nome de "laranjas", as empresas simplesmente deixavam de declarar ou declaravam suas receitas com valores menores, o que evidencia enorme disparidade entre as receitas declaradas e as movimentações financeiras.