Fiscais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e 30 policiais federais estão tentando coibir a caça ilegal no Rio Grande do Sul. Os agentes envolvidos na operação, intitulada Mostardas, cumpriram domingo dois mandados de busca e apreensão em fazendas situadas na região do Parque Nacional da Lagoa do Peixe. As fazendas são acusadas de fornecer apoio logístico e infra-estrutura para caçadores ilegais.

Na ação, foram apreendidos uma espingarda calibre 12, cerca de 400 cartuchos deflagrados de uma mesma arma e 100 armadilhas conhecidas como "chama marreco". Apesar de ter montado barreiras nos acessos do parque para fiscalizar veículos, a PF não flagrou o transporte de animais abatidos ou armas. A polícia pretende intensificar a fiscalização na região.