A Polícia Federal realiza a Operação Águas Profundas, que visa desbaratar uma quadrilha acusada de fraudes em licitações da Petrobras. A ação conta com 53 agentes federais e acontece tanto no interior do Rio de Janeiro como na capital fluminense. Os policiais cumprem pelo menos 15 mandados de prisão.

As primeiras informações dão conta de que, em São Conrado, na zona sul carioca, os agentes encontraram várias armas em uma residência de classe média alta. O armamento estava na moradia do caseiro. No entanto, os proprietários da casa não estavam no local no momento em que os policiais chegaram. Foram apreendidos revólveres, metralhadoras, pistolas e espingardas. Em outros pontos da cidade, os agentes recolheram documentos e quatro veículos de luxo.

De acordo com a Polícia Federal, as investigações começaram há mais de dois anos e foram feitas em conjunto com o Ministério Público Federal.

Às 16 horas, o superintendente da PF carioca, delegado Delci Carlos Teixeira, concederá entrevista à imprensa para falar sobre o assunto, no Rio de Janeiro.