A Polícia Federal (PF) e o Ministério da Previdência Social realizam nesta manhã, em Governador Valadares, região leste de Minas Gerais, a Operação Hemostasia, com o objetivo de prender integrantes de uma quadrilha especializada em fraudes previdenciárias. De acordo com estimativas da PF, os prejuízos causados podem superar R$ 10 milhões.

A fraude, segundo a PF, consistia na concessão irregular de benefícios por incapacidade, especialmente, auxílio-doença e aposentadoria por invalidez. A organização criminosa atuou na concessão de mais de 10 mil benefícios, tendo sido constatado indícios de irregularidades em cerca de 300.

As investigações apontam que o esquema de fraudes vem sendo operado desde o ano de 2000, pelo médico-perito do INSS Milson Brige. A PF realizar buscas e apreensões nos endereços residenciais e de trabalho dos suspeitos. Cerca de 100 policiais federais e oito servidores da Previdência Social vão executar sete prisões e realizar de 27 mandados de busca e apreensão, expedidos e autorizados pela Justiça Federal em Governador Valadares.

Segundo a Polícia Federal, durante as investigações foram constatados indícios da existência de uma organização criminosa relacionada diretamente com o assassinato da médica-perita Maria Cristina de Souza Felipe da Silva, ocorrido na manhã do dia 13 de setembro de 2006, quando ela saía de sua casa em Governador Valadares para trabalhar.