Foram indiciados ontem pela Polícia Civil os oito taxistas que se envolveram direta ou indiretamente nas agressões contra o também taxista Kléber Oliveira Rosa, vítima de espancamento ocorrido na madrugada do último dia 7 no Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim (Galeão), no Rio de Janeiro. A vítima foi agredida quando tentava levar três passageiros para a Barra da Tijuca. O espancamento teria sido motivado pelo fato de Kleber não ser da cooperativa autorizada a pegar passageiros no terminal.

Segundo a corporação, na data em que foi agredido, Kleber não estava em dia com a documentação necessária para exercer a profissão, por isso também terá de responder judicialmente. A delegada titular da Delegacia do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro (DAIRJ), Fátima Bastos, não pediu a prisão de nenhum dos envolvidos pois todos colaboraram durante o inquérito, que será encaminhado ao Ministério Público (MP), incumbido de aceitar ou não a denúncia e oficializá-la perante a Justiça.

José Cosmo Neres de Freitas, Edson Neres de Freitas, Wagner de Oliveira Manoel e Vinícius de Araújo foram indiciados por tentativa de homicídio qualificada por motivo fútil e dificuldade de defesa da vítima. Eles podem ser condenados a até 20 anos de prisão. Já Sandro de Souza, Luiz Ramos de Oliveira, José Carlos Santos Rangel e Muniz Pereira da Silva foram indiciados por omissão de socorro – eles não agrediram a vítima, de 31 anos, mas assistiram a tudo e não prestaram socorro. Cada um pode pegar até 9 anos de prisão ou pagar multa.