A Polícia Civil do Rio vai investigar se dois corpos não identificados que estão no Instituto Médico Legal (IML) são de um casal cujo filho foi abandonado por uma mulher na estação Alvorada do BRT, na Barra, zona oeste, na última quinta-feira, 13. Um exame de DNA foi solicitado pela Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA), e deve sair em até 30 dias.

Segundo familiares, Nardyne Dias e Deonir Lima Sales, ambos de 24 anos, estão desaparecidos desde a semana passada. Eles seriam alvo de desavenças entre parentes. No mesmo dia do desaparecimento, um vídeo do circuito interno do BRT mostrou uma mulher não identificada deixando o menino, de 3 anos, com uma funcionária da estação. Os dois haviam tomado um ônibus na estação Santa Cruz, também na zona oeste.

Na última sexta-feira, o juiz Pedro Henrique Alves, da 1ª Vara da Infância, da Juventude e do Idoso da capital fluminense determinou que a criança recebesse cuidados temporários de uma família do Programa Família Acolhedora. “Existem muitas possibilidades para o caso. Chegou até mim que a mãe tinha abandonado, mas essa criança pode ter sido sequestrada e depois largada no BRT para despistar”, disse o juiz.

De acordo com o Tribunal de Justiça do Rio, a criança não soube informar o próprio nome e foi conduzida pela Polícia Militar ao Conselho Tutelar da Barra da Tijuca.