Brasília

– A Polícia Federal prendeu ontem deputado federal eleito Ronivon Santiago (PPB-AC), preso ontem, em Brasília, sob a acusação de ter comprado por cem reais votos de eleitores. Ronivon terminou a eleição deste ano como o terceiro candidato a deputado federal mais votado do Acre, com 15.637 votos. Mas apesar da prisão ele poderá ser solto a qualquer momento porque, desde anteontem e até terça-feira, nenhum eleitor pode ser detido, salvos os casos previstos em lei. Nem com prisão preventiva decretada anteriormente, como é o caso de Santiago.

A imunidade serve para evitar que o poder público tente interferir na eleição. A Polícia Federal esperou que Santiago retornasse de um passeio para o prender, no saguão do Hotel Blue Tree, na capital federal, nas primeiras horas da manhã de ontem. Para evitar tumultos, os agentes aguardaram que o deputado eleito pelo PPB do Acre entrasse em seu apartamento, com a mulher, com o objetivo de negociar a rendição. “Ele não esboçou qualquer reação, tudo foi tranqüilo”, informou a PF. “Ele tinha quase certeza que não seria preso neste período”, disse uma autoridade da PF. “Vamos recambiá-lo para o Acre, onde responde a dois inquéritos, e a decisão de soltá-lo ou não depende da Justiça Eleitoral local”, afirmou o delegado.