Após a Operação Natal, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) lançou, a zero hora desta sexta (28), a Operação Ano-Novo. A fiscalização nas estradas federais será reforçada até a meia-noite do dia 1º.

Para evitar o recorde de vítimas registrado no feriado prolongado do Natal, que deixou 196 mortos e 1.879 feridos em 2.561 acidentes, a PRF promoveu ajustes na fiscalização durante as festas de fim de ano.

Para a Operação Ano-Novo, a fiscalização deverá ser reforçada nas rodovias que levam aos principais balneários. Segundo a PRF, ao contrário do período de Natal, quando os deslocamentos ocorrem em direção ao interior, o destino das viagens das comemorações de fim de ano concentra-se no litoral.

Para o inspetor da PRF, Alvarez Simões, que coordenou a Operação Natal, a nova operação teve início com grandes preocupações, diante dos números registrados no último feriado.

Uma alternativa viável, segundo Simões, para evitar que o registro de acidentes continue a subir, é aumentar o orçamento da PRF, calculado em R$ 1,7 bilhão ao ano. Desse total, o inspetor garante que apenas R$ 200 milhões são destinados a investimentos. Para ele, o número precisa ser dobrado, sobretudo em áreas como a tecnologia, para que os abusos nas estradas possam ser combatidos.

A PRF recomenda atenção, principalmente aos motoristas com destino ao Rio de Janeiro, Bahia, Pernambuco, São Paulo e Santa Catarina, estados que atraem milhares de turistas, inclusive estrangeiros.