São Paulo – Indagados sobre a afirmação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de que a política econômica tem sido um dos grandes sucessos de seu governo, os candidatos a presidente do PT disseram ontem em debate na Rádio CBN que não gostam nem um pouco desta política. Seis candidatos criticaram e somente o ex-ministro Ricardo Berzoini defendeu com mais apreço a política do presidente Lula.

Os outros seis criticaram o desenvolvimento da política econômica. Para Raul Pont, professor de História e de Ciências Econômicas, a política econômica não está em sintonia com a base do partido. Ele disse que, evidentemente, é defensor da base monetária, que tem conseguido reduzir a inflação, mas não interessa, na sua avaliação, a política de juros altos, que favorece apenas parte da população. Segundo Plínio de Arruda Sampaio, a atual política econômica é absolutamente errada. "É uma política neoliberal, que eu sou contra. Uma política que não muda a política de Fernando Henrique Cardoso. Se eleito, vou dizer isso a Lula", disse Arruda Sampaio.

Para Valter Pomar, o governo Lula é superior ao de FH em vários aspectos, mas a política econômica precisa mudar. Segundo ele, a política deve gerar crescimento e igualdade social. Ele defendeu mais investimento público e a não transferência de recursos para o capital financeiro. "É preciso convencer Lula de que é necessário alterar a política econômica", disse Pomar.

Markus Sokol, que contribuiu para a construção do PT, disse que o governo frustrou eleitores que esperavam, por exemplo, a reforma agrária. De acordo com ele, o Brasil continua trabalhando para pagar a dívida externa. Sokol defendeu também o término do superávit fiscal e primário. "Enquanto não mudar isso, dificilmente vamos ter direito à reforma agrária", afirmou Sokol. Já Ricardo Berzoini disse que é preciso verificar o estado em que Lula recebeu o País, com a credibilidade em frangalhos. Para ele, o presidente Lula teve grande competência para colocar o País no caminho certo, de credibilidade. Berzoini citou vários benefícios da política de Lula.