O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta quarta-feira (30) que o estado vai começar a vacinar a população do estado contra covid-19 a partir de 15 de dezembro pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Os profissionais de saúde será o primeiro público a ser imunizado com a vacina chinesa CoronaVac, do laboratório SinoVac, desenvolvida junto com o Instituto Butantan.

De acordo com Doria, São Paulo será um dos primeiros locais do mundo a ter vacinação contra a doença. Em entrevista coletiva nesta quarta (30), o governador assinou o contrato de fornecimento de 40 milhões de doses da CoronaVac. O lote chegará à São Paulo em dezembro.

LEIA MAIS – Cuidado com a suplementação: vitamina D em excesso aumenta chance de fratura e pedra no rim

Até fevereiro, mais 14 milhões de doses chegarão ao estado, totalizando, 60 milhões de doses – outras 6 milhões de doses chegam ao estado já em outubro. O material ficará armazenado até que o ensaio clínico de fase 3 seja concluído no dia 15 de outubro e as autoridades sanitárias do Brasil autorizem a vacinação. O diretor do Butanta, Dimas Covas, vai se reunir com a Agência Nacional de Vigilãncia Sanitária (Anvisa) para agilizar a produção da vacina no país.

O Hospital de Clínicas (HC) da Universidade Federal do Paraná, em Curitiba, é um dos centros médicos que está testando a CoronaVac. Foram selecionados 852 profissionais de saúde para receber a dose – entre placebo e a imunização em teste – em Curitiba.