Autor de uma ação que tentou barrar a redução dos limites de velocidade nas Marginais do Tietê e do Pinheiros – que está em grau de recurso – , o presidente da seção São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SP), Marcos da Costa, evitou fazer críticas à medida após ser informado sobre os dados da Prefeitura sobre redução dos índices de lentidão e do número de acidentes de trânsito.

“A crítica que fazemos não é contra a redução. Mas contra o fato de a ação ter sido tomada sem que a população fosse ouvida”, disse, na terça-feira, 15. “O administrador público não pode pegar uma via que foi feita para ser expressa e simplesmente transformar em uma avenida, como ele (prefeito Fernando Haddad) quer. Ainda mais uma via como essa, por onde circula a riqueza produzida por parte do País.”

Costa não questionou os dados. A ação proposta pela OAB à Justiça paulista não foi aceita porque o entendimento do Judiciário foi de que ela deveria ter sido proposta à Justiça Federal. A OAB recorre da decisão.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.