Policiais militares que faziam uma blitz da Lei Seca em Belo Horizonte na tarde de ontem afirmam que o desembargador Cláudio Costa, presidente do Tribunal de Justiça de Minas, trocou de lugar com sua mulher, que estava no banco do passageiro, para não se submeter ao teste do bafômetro.

A abordagem ocorreu por volta das 17h na região da Savassi, bairro famoso pela concentração de bares. A desembargadora Albergaria Costa, mulher do magistrado, passou pelo teste, que detectou que ela não havia bebido.

Como os policiais disseram ter visto a troca de condutores pouco antes de o veículo chegar à blitz, solicitaram que o desembargador também fizesse o teste. Segundo a Secretaria Estadual de Defesa Social, ele se recusou.

O TJ afirmou, em nota, que durante o registro da ocorrência a alegação de que Albergaria assumiu o volante antes da blitz foi “prontamente refutada pela magistrada”.

A Polícia Militar disse, via assessoria de imprensa, que o comando da corporação determinou que o fato não fosse comentado e que a versão dos policiais é a que está no boletim de ocorrência.
A Defesa Social informou que o caso seguiu para o Detran de Minas Gerais, que adotará todas as providências legalmente previstas.

A assessoria da pasta não soube dizer se o desembargador aparentava estar alcoolizado.