Rio

(AE) – O ex-gerente da Sony Music, José Maria Garcez de Melo, de 50 anos, foi preso ontem de manhã em sua casa, no Rio, por policiais da Delegacia de Defraudações, que descobriram uma fábrica clandestina de CDs piratas. Foram apreendidos um computador, gravadores de CD, uma impressora e 22 mil títulos variados falsificados, além de mil CDs virgens. Os policiais tinham mandado judicial para realizar a operação, que durou duas horas. A equipe chegou por volta das 11 horas à casa de Garcez, que fica no Alto da Boa Vista, bairro de classe média alta da zona norte da cidade. Os CDs eram falsificados num cômodo da casa de dois andares, onde ele mora com a família. O ex-funcionário da Sony não estava na hora em que a polícia chegou e por isso não foi autuado em flagrante. O material foi encaminhado para perícia. Garcez trabalhava como gerente de qualidade e disse ter sido demitido da empresa há cinco anos. A polícia acredita que a partir dessa demissão é que ele tenha começado a atuar no mercado de falsificações. Garcez também informou que seu lucro era de apenas R$ 1 por CD e que comprava a matéria-prima para as cópias no mercado popular.