Brasília

– A Polícia Federal conseguiu prender ontem 22 integrantes de uma organização criminosa com forte atuação na área do tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro. Segundo nota da PF, um dos presos, Leonardo Dias Mendonça, conhecido como Leo, era alvo prioritário da Coordenação Geral de Prevenção e Repressão a Entorpecentes da Polícia Federal e também das justiças dos Estados Unidos e da Holanda.

A prisão aconteceu durante a Operação Diamante, deflagrada ontem para cumprir 30 mandados de prisão e promover buscas e apreensões em nove estados. O objetivo da operação foi desarticular a quadrilha, que produzia cocaína na Colômbia, em área controlada pelas Farc.

A quadrilha, bem-estruturada, também vendia armas para a guerrilha, usando para isso os territórios do Suriname e do Paraguai. No Brasil, os bandidos distribuíam cocaína para os estados de Goiás, Pará, Roraima, Amazonas, Maranhão, Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. A organização utilizava pistas clandestinas de pouso na região Norte do País, principalmente na fronteira do Pará com o Suriname e a Guiana.

Foram presas nove pessoas em Goiás, quatro no Pará, três no Distrito Federal e duas em Roraima. Também foram detidas uma pessoa no Maranhão, uma no Amapá, uma no Rio de Janeiro e uma em São Paulo.