Belo Horizonte

– Cerca de 300 presos da penitenciária Agostinho de Oliveira Júnior, em Unaí, no Noroeste de Minas Gerais, estão rebelados desde às 8h de ontem. Os amotinados mantinham até ontem à noite dois agentes penitenciários como reféns e mataram pelo menos quatro colegas. O motivo das mortes seria “acerto de contas” entre presos rivais. O comandante da Polícia Militar, Evandro Mendonça, e o diretor da penitenciária, Agostinho de Oliveira Júnior, tentaram negociar com os presos o fim da rebelião. As principais reivindicações dos amotinados são: transferência para outras penitenciárias do Estado, revisão de pena e aumento de visitas íntimas.