O procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, encaminhou nesta segunda-feira (6) ao Supremo Tribunal Federal (STF) o pedido de abertura de inquérito para investigar a suspeita do uso de notas frias por parte do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMFB-AL), para provar a disponibilidade de recursos para pagamento de despesas pessoais.

O procurador, segundo sua assessoria, disse que pode pedir a inclusão de mais uma denúncia contra o senador, feita pela revista Veja, no final de semana. A acusação é de que Renan é dono oculto de duas emissoras de rádio de Alagoas que valem cerca de R$ 2,5 milhões.