O professor Fernando Carmona, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), defendeu a volta do Ministério de Administração no governo federal. Segundo ele, o Ministério do Planejamento – que incorporou as atribuições do antigo Ministério – tem outras prioridades e tende a preocupar-se com as atribuições de sua área e não consegue dar atenção às questões referentes à gestão.

Para o professor Carmona, que foi secretário de Administração e Modernização do Serviço Público no governo Mário Covas, as greves na Polícia Federal e dos agentes sanitários demonstram a necessidade de se criar um canal direto e eficiente de negociação na administração pública federal. No seu entendimento, isto possibilitaria uma maior eficiência da administração pública no Brasil.

Além disso, o professor fez observações referentes ao atual governo do Estado de São Paulo. Ele afirmou que no governo Mário Covas houve a decisão de informatizar os contratos de prestação de serviços. O processo permitiu verificar, por exemplo, que empresas de prestação de serviços praticavam diferenças de preços por metro quadrado de até cinco vezes, dependendo do órgão de administração pública. O uso da informática possibilitou comparar contratos e uma redução de R$ 500 milhões nos gastos públicos anuais do Estado de São Paulo.

O professor considera que o mesmo sistema poderia ser intensificado no governo de Geraldo Alckmin.