Os professores da rede estadual de ensino da Bahia rejeitaram a proposta feita pelo governador Jaques Wagner (PT) e vão continuar em greve. A paralisação já dura 56 dias. Ontem o governo apresentou uma proposta para antecipar para novembro deste ano um aumento de 7,29% para os professores com licenciatura plena que passarem por qualificação e mais 7% em abril do próximo ano.

Em assembleia na manhã de hoje, os professores, que reivindicam um aumento de 22,22%, rejeitaram a proposta do governo sob alegação de que ela exclui aposentados e que os termos foram os mesmos oferecidos em abril, já rejeitados pela categoria antes da deflagração da greve.

O governo baiano alega que não tem caixa para bancar um aumento maior e diz que o percentual pedido pelos professores levará o Estado a ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal porque já concedeu reajuste linear de 6,5% a todo o funcionalismo. Ontem o governador fez um apelo, em entrevista, para que os professores aceitem a proposta e voltem ao trabalho.