A Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) prorrogou por mais 24 horas a interrupção do trânsito de caminhões nos dois sentidos da margem direita do Porto de Santos, em decorrência do incêndio que segue ativo no terminal da Ultracargo, em Santos. E reiterou que a medida pode ser reavaliada no decorrer desta quinta-feira, 09.

Diferente do gabinete de gestão da crise, que desde segunda-feira sinaliza que a restrição ao tráfego de veículos pesados deve perdurar até sexta-feira (10), a Codesp prefere analisar a questão dia a dia e ainda não descartou uma retomada das atividades ainda esta semana, muito embora representantes dos terminais já deem os próximos dois dias praticamente como perdidos.

No início da tarde, rumores de que o fogo no terminal da Ultracargo em Santos havia sido extinto animou profissionais dos terminais que estão tendo suas operações restringidas. Mas a notícia nem pôde ser comemorada. Embora em mais de um momento ao longo da tarde deixaram de ser vistas labaredas nos tanques de combustível, e uma fumaça branca estaria dando lugar à fumaça preta – sinal de resfriamento dos tanques e não mais a queima de combustível -, pouco depois as chamas e as nuvens negras voltaram.

Ainda assim, em nota a Codesp destacou o avanço no combate ao incêndio e “boas perspectivas” de um final próximo. Mas alertou que focos nas bases dos tanques persistem, com os vazamentos de combustíveis. Além disso, citou que alguns dos tanques atingidos ainda continuam com temperatura elevada e com carga remanescente de produtos inflamáveis. “Mesmo com a possível extinção total das chamas ainda hoje, será necessário um período de rescaldo e limpeza dos acessos para que o tráfego possa fluir de forma segura”, justificou, ao informar sobre a proibição do tráfego por mais um dia.

Para minimizar os impactos do incidente, especialmente para os caminhões que deixaram suas origens antes da proibição do tráfego, na segunda-feira, 06, a circulação desses veículos será excepcionalmente liberada entre as 21h desta quarta-feira e as 4h30 da madrugada de quinta-feira, repetindo uma operação que já foi experimentada entre a noite de ontem e a madrugada de hoje, informou a Codesp. O órgão alerta que a medida tem por objetivo desafogar as áreas de descanso, mas não resultará na normalização das operações.

As operações da margem esquerda (município de Guarujá, Ilha do Barnabé e Embraport) seguem normalmente, assim como o acesso ferroviário nas duas margens. “A Codesp destaca que, no momento, não está focada nos prejuízos ocasionados, mas sim no apoio às ações que possibilitem o término do incêndio e na normalização das atividades portuárias”, reiterou.