Cerca de 200 pessoas se reúnem, na tarde desta sexta-feira, 29, ao redor da Igreja da Candelária, no centro do Rio, para um protesto promovido por professores e funcionários das universidades federais em greve desde quinta-feira, 28, por reajuste salarial e outras mudanças.

No Rio, professores da Universidade Federal Fluminense (UFF) e funcionários da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) aderiram à greve. Embora os professores da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio) tenham decidido manter o trabalho, nesta sexta as atividades foram suspensas para a participação no protesto.

Alunos do Colégio Pedro II, mantido pelo governo federal, também participam do ato na Candelária, além de sindicalistas de outros setores, como o Sindipetro (Sindicato dos Petroleiros do Estado do Rio).

O grupo deve seguir pela avenida Rio Branco até a Cinelândia, onde outro grupo de manifestantes já organiza um protesto contra o projeto de lei que flexibiliza a terceirização.