Deve ser publicado ainda esta semana o edital de convocação para a eleição do novo presidente do diretório estadual do PSDB, que ficará no comando da sigla até agosto, quando serão realizadas as convenções. A eleição do presidente para um mandato-tampão se deve à decisão do prefeito Beto Richa, que renunciou à presidência do diretório alegando falta de tempo para administrar simultaneamente Curitiba e o partido no Paraná.

O presidente da Assembléia Legislativa, deputado Hermas Brandão, vice-presidente da comissão executiva, assumiu interinamente o posto e vai coordenar a escolha do novo dirigente. Em função de alguns pontos conflitantes no estatuto partidário, ele fez consultas ontem à executiva nacional sobre o ritual a ser seguido e aguardava a resposta para marcar a data da eleição. Têm direito a voto os 45 integrantes da executiva.

O líder da oposição na Assembléia, deputado Valdir Rossoni, é candidato ao posto e reafirmou ontem que está confiante no apoio do senador Alvaro Dias, o outro postulante ao cargo.

Rossoni tem um crédito junto a Alvaro Dias: nas eleições de 2000, conduziu o PTB, sua antiga legenda, no apoio a Dias (à época no PDT), que foi para o segundo turno e acabou derrotado por Roberto Requião (PMDB). Hoje ele representa o grupo que deseja evitar a volta de Alvaro ao comando do partido e pretende atrair para as hostes tucanas seu irmão, Osmar Dias (PDT), considerado "a bola da vez" para disputar o Palácio Iguaçu. Rossoni garante que sua candidatura é irreversível, e se Alvaro, em vez de apoiá-lo, decidir pela disputa, vai para o bate-chapa. Ele já conta com o apoio dos oito deputados estaduais do partido. (SCP)