O PSDB decidiu obstruir as votações na Câmara dos Deputados. O líder do partido, deputado Antonio Carlos Pannunzio (SP), anunciou na reunião de líderes que o PSDB está "em vigília cívica". Para o deputado, há pelo menos três razões que justificam a obstrução. Em primeiro lugar, as medidas provisórias que estão na pauta e aumentam o número de cargos comissionados no Executivo e elevam os salários dos ocupantes desses cargos. A tentativa de alguns partidos de votar o projeto de reforma política que prevê financiamento público de campanhas eleitorais para cargos majoritários e financiamento privado para as eleições proporcionais também seria uma justificativa.

Pannunzio enumerou ainda o julgamento em que o Supremo Tribunal Federal (STF) decidirá, a partir de amanhã, se recebe ou não a denúncia contra os envolvidos no escândalo do mensalão como razão para a obstrução. "Temos que estar atentos (ao julgamento)", disse Pannunzio. Na reunião de hoje, alguns líderes constataram que, num primeiro momento, é necessário votar quatro medidas provisórias que estão trancando a pauta, mas sugeriram a continuidade da votação da reforma política e de uma proposta de emenda constitucional (PEC) que trata da Defensoria Pública.