Rafael Neddermeyer / AE

Flávio Martinez: representações contra Mabel, Janene e Rodrigues.

Brasília – O presidente do PTB, Flávio Martinez, protocolou ontem à tarde na secretaria geral do Conselho de Ética representações pedindo a abertura de processo de cassação contra o deputado José Dirceu (PT-SP) e o líder do PL na Câmara, Sandro Mabel (GO). Agora, a representação será analisada pela mesa da Câmara e, quando voltar ao conselho, o processo estará iniciado e os parlamentares não poderão mais renunciar.

Na semana que vem, o PTB vai apresentar pedidos de abertura de processo contra o líder do PP, José Janene (PR), o deputado Carlos Rodrigues (PL-RJ) e outros parlamentares. ?Nossos advogados estão terminando as representações contra Pedro Henry e Janene?, disse um deputado do PTB. O partido não entrará mais com representação contra o presidente do PL, Valdemar Costa Neto, porque ele renunciou ao mandado na segunda-feira. O processo do PTB ocorre em meio a rumores de que muitos deputados ameaçados de cassação estariam propensos a renunciar, para evitar a perda dos direitos políticos. No PMDB, o nome mais cotado é o de José Borba (PR), ex-líder do partido na Câmara Federal. O deputado Eduardo Paes (PSDB-RJ) disse, ontem, ao chegar à reunião da CPI dos Correios, que a comissão já dispõe de elementos suficientes para encaminhar representações aos conselhos de Ética da Câmara e do Senado pedindo a cassação de 12 a 14 parlamentares. O deputado defende o envio dessas representações para evitar a renúncia de deputados e senadores. ?A renúncia tem significado jogar a sujeira para debaixo do tapete?, disse.

O deputado Carlos Abicalil (PT-MT), que também é integrante da CPI, acredita que poderiam ser elaborados relatórios parciais à medida que a comissão vá dispondo de informações concretas, mas ressaltou que os parlamentares têm o direito de renunciar. Abicalil lembrou que a CPI originalmente investiga corrupção nos Correios e que o suposto pagamento de ?mesadas? a parlamentares são denúncias ?colaterais?.

Negaram

Os deputados petistas negaram, ontem, que renunciarão aos seus mandatos, como vem sendo especulado, por causa do escândalo do mensalão. Pela manhã, o deputado José Dirceu (PT-ST), garantiu que não entregará o mandato. O assessor do parlamentar contou que, após ouvir a declaração do senador Tião Viana (PT-AC) à rádio CBN sobre um importante petista que renunciaria pela manhã, ligou para Dirceu, perguntando se ele seria esse deputado. José Dirceu afirmou que ficaria em casa pela manhã descansando e que não iria renunciar ao mandato.

O deputado professor Luizinho (PT-SP), por sua vez, negou que haverá uma renúncia coletiva de parlamentares do partido. Em relação à declaração do senador Tião Viana (PT-AC), ele disse: ?Espero que o senador diga o nome do deputado?, afirmou. O ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha (PT-SP) também negou que vá renunciar ao mandato. Indagado pelo interfone se renunciaria ao cargo, João Paulo deu uma gargalhada e respondeu: ?Não tem nada disso não?.