Subiu para quatro o número de mortos no acidente com um guindaste no antigo prédio da Eletropaulo, no cruzamento da avenida Juscelino Kubitschek com a Marginal dos Pinheiros, em São Paulo. Em nota, as empresas WTorre e Grumont informaram "lastimar o acidente" e que "as causas ainda não são conhecidas e serão informadas tão logo as análises técnicas sejam concluídas".

As empresas também divulgaram os nomes das quatro vítimas: Joselito de Oliveira, de 42 anos; Felix Antonio dos Santos, de 48 anos; Francisco Alexandre de Oliveira, de 28 anos; e José da Silva, de 24 anos. Todos trabalhavam na empresa Grumont Equipamentos Ltda, que afirmou que dará suporte às famílias dos mortos.

Segundo a nota, quando o acidente ocorreu, os funcionários estavam instalando uma grua lateral, "usando todos os equipamentos de segurança exigidos por esta atividade e respeitando todas as normas específicas". Cinco funcionários compunham a equipe – um encarregado, um operador e três montadores, de acordo com o comunicado. Todos tinham experiência na atividade. Outro funcionário, Severino Alves, que fazia parte da equipe, teve cortes nas mãos. Encaminhado para o Hospital das Clínicas, Alves passa bem, segundo a nota.

Trânsito

Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o trânsito deve ficar complicado nesta região. Ela recomenda aos motoristas que evitem a Marginal Pinheiros, no sentido Castelo Branco. A pista local, entre a Avenida dos Bandeirantes e a Ponte Cidade Jardim, foi bloqueada. O desvio está sendo realizado pela pista expressa da Marginal dos Pinheiros.

O acesso da Avenida dos Bandeirantes para a pista local da Marginal Pinheiros também está interditada. Os motoristas que seguem pela Avenida dos Bandeirantes, no sentido Marginal Pinheiros, estão sendo desviados pelo Viaduto República da Armênia para a pista expressa.