O senador Leomar Quintanilha (PMDB-TO), presidente do Conselho de Ética do Senado – para o qual a Mesa Diretora reenviou o processo aberto contra o presidente da Casa, senador Renan Calheiros (PMDB-AL) – terá que indicar, nas próximas horas, um relator para o caso. Com a escolha do novo relator, poderá ter continuidade no Conselho o processo de investigação da denúncia segundo a qual Calheiros teria pago despesas pessoais com dinheiro de um lobista de uma empreiteira, o que configura quebra do decoro parlamentar.

A representação contra o presidente do Senado, pedida pelo PSOL, chegou à Mesa há cerca de 40 dias, e o próprio Calheiros a remeteu ao Conselho, sem consultar os demais integrantes da Mesa. Por causa deste e de outros vícios de origem, o Conselho devolveu ontem o documento à Mesa, que hoje o reenviou ao colegiado. Na ata da reunião de hoje da Mesa, está registrado que seus integrantes, "após amplo debate", decidiram por unanimidade acolher parecer da Advocacia do Senado no sentido de "sanear vícios de origem" e, a seguir, aprovaram a admissibilidade da representação contra Calheiros.

Na avaliação de assessores da Secretaria Geral da Mesa do Senado agora que já está aberto o processo contra Calheiros no Conselho, o senador não conta mais com a chance de preservar os direitos políticos renunciando ao mandato.