Rio

– Pelo menos R$ 2,14 bilhões foram desviados da Previdência Social desde janeiro de 2000 nos estados do Rio e de São Paulo. O valor estimado foi divulgado ontem em relatório da força-tarefa que apura fraudes contra a Previdência, integrada pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Ministério Público (MPF) e Polícia Federal (PF). “Nós achamos que, talvez, 50% dos benefícios sejam fraudulentos no Rio, o volume é muito grande. Até agora, constatamos R$ 2 bilhões, mas isso foi o que nós conseguimos apurar; existem fraudes que, talvez, nunca serão descobertas”, declarou o procurador Fábio Aragão, que coordena a investigação pelo MPF, com outros cinco procuradores.