O senador Valter Pereira (PMDB-MS), que vinha defendendo o adiamento de uma decisão sobre o processo em que o presidente do Senado, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), é acusado de quebra de decoro parlamentar, se desligou do Conselho de Ética da Casa. Em seu lugar, entrará, como titular, o líder do PMDB no Senado, senador Waldir Raupp (RO), que, na semana passada, admitiu assumir a função de relator do caso.

Senadores do PT e o PMDB ficaram apreensivos, nesta segunda-feira (25), com a postura do líder do DEM (ex-PFL), senador José Agripino (RN), que cobrou pressa na escolha de um relator, com receio de que o grupo de Calheiros tente adiar uma decisão do processo para depois de 15 de julho, quando já terá começado o recesso parlamentar. Agripino anunciou que, se amanhã o Conselho não tiver outro relator, convidará os líderes dos demais partidos a chegarem a um nome de consenso.

"Essa posição (de Agripino) seria atropelar o Conselho de Ética" afirmou o senador Tião Viana, que se reuniu agora à tarde com Calheiros e Raupp. Depois de acertar o afastamento de Valter Pereira, Raupp se encontrou com o senador José Sarney (PMDB-AP) para discutir a estratégia dos aliados de Calheiros. E o senador Tião Viana ficou de conversar com o presidente do Conselho, Sibá Machado (PT-AC), que estaria disposto a deixar a presidência, aborrecido com a cobrança de Agripino.