Ao receber hoje uma delegação de parlamentares do PT, o ministro da Justiça, Miguel Reale Júnior, mandou a Corregedoria da Polícia Federal (PF) investigar, com urgência, a denúncia de que o delegado Alberto Lassere Kratzl Filho teria usado um documento falso da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Narcotráfico na Câmara para investigar o candidato a presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT-PL), a partir de dezembro de 2000.

No entanto, Reale Júnior descartou objetivos políticos nas apurações da PF sobre petistas e administrações do partido.

?Não vejo nenhum indício do uso do ministério com objetivos políticos?, rebateu, durante uma audiência com o líder da legenda na Casa, João Paulo Cunha (SP), e outros deputados da sigla. O ministro da Justiça, que, há cerca de 20 dias, confirmou ao presidente nacional da agremiação, deputado José Dirceu (SP), que houve o pedido de investigação sobre Lula, pediu pressa da Corregedoria na elucidação do caso.

Os deputados do PT estiveram também com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Marco Aurélio Mello, a quem foram denunciar a investigação ?ilegal? sofrida pelo candidato da Coligação PT-PL a presidente por mais de 500 dias. Mello não entrou no mérito do caso, preferindo lamentar o rumo que toma a campanha eleitoral. Ele disse que é necessário elevar o nível e que, ao em vez de buscar escândalos, os brasileiros deveriam se concentrar na análise das idéias dos políticos.