O governador do Maranhão, Jackson Lago, reconheceu nesta segunda-feira (7) que houve solidariedade do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com a liberação na última sexta-feira (4), por meio de medida provisória, de R$ 540 milhões para socorrer os estados do Nordeste prejudicados pelas chuvas. Ele disse, no entanto, que os R$ 73,7 milhões para recuperação de estradas não serão suficientes.

"A única pendência que ficou é com as [estradas] estaduais e vicinais. Nas demais áreas, houve uma definição clara da solidariedade da presença do governo federal. Acreditamos que provavelmente haverá necessidade de o governo federal prover mais um pouco de recursos", disse depois de participar nesta segunda-feira (7) de reunião no Palácio do Planalto com o presidente e demais governadores da região para discutir ações de ajuda aos estados castigados pelas chuvas.

A governadora do Rio Grande do Norte, Wilma Maia, pediu que o governo fique atento às questões burocráticas para que as liberações sejam rápidas. De acordo com a governadora, os problemas enfrentado pelo estado este ano são mais graves do que em 2004, quando o estado também sofreu com as enchentes.

"Há muitas perdas econômicas, muitas estradas foram rompidas e a população está também em estado de emergência e pedindo socorro humanitário", afirmou a governadora.

O governador do Piauí, Wellington Dias, disse que o importante é que o governo federal está empenhado em encontrar soluções definitivas como a criação de diques e outra forma de proteção da população, além de programas sociais que efetivamente não permitam a construção de habitações em áreas de risco.