São Paulo – O deputado Ivan Valente (PT-SP), membro do diretório nacional do partido, afirmou que a reforma tributária deveria ser votada antes da previdenciária. A afirmação foi feita na abertura do primeiro seminário sobre as reformas propostas pelo governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Valente argumentou que é necessário estabelecer primeiro os recursos e as prioridades, com isso, melhorar a arrecadação e talvez, não seja necessário taxar os funcionários públicos aposentados.

No mesmo evento, o chefe da Casa Civil, José Dirceu, afirmou que a taxação de funcionários públicos inativos é inegociável para o governo (ver matéria acima). Para o deputado do PT de São Paulo, a reforma pode ser mudada no Congresso. “Queremos reformar a reforma da Previdência. Ela precisa ter a marca da inclusão social e não apenas do ajuste fiscal”, destacou.

Para Valente, a maior parte dos deputados da bancada petista na Câmara dos Deputados também acredita que a reforma “está muito neutra”. Para ele, as discussões ainda deverão levar algum tempo. Para o deputado Chico Alencar (PT-RJ), membro do diretório nacional e que também participou do seminário, o governo levou cerca de quatro meses para encaminhar as reformas ao Congresso e agora quer que sejam votadas em igual período.

“Conhecendo os trâmites do Congresso, isso é exagerado.” Em seguida, emendou: “Mas topamos nos empenhar para votar as reformas até o final do ano”. Além das críticas que fizeram, Valente e Chico Alencar defenderam também os radicais do partido.