Ao chegar ao Senado Federal, o presidente da Casa, Renan Calheiros, disse que a decisão do procurador geral da República, Antonio Fernando de Souza, de investigar as denúncias contra ele atende a um pedido que fez há cerca de um mês. "Eu pedi para o procurador me investigar. Eu me dispus a abrir meu sigilo", afirmou. Renan disse que não entende porque a Revista Veja insiste em fazer denúncias "infundadas" contras ele. O presidente do Senado referia-se à última reportagem da revista que afirma que Renan é dono oculto de duas emissoras de rádio de Alagoas que estariam em nome de laranjas.