O presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), sofreu nesta terça-feira (7) no Senado a maior derrota desde que começou a ser investigado: com apoio dos dois maiores partidos de oposição, o DEM e PSDB, a Mesa da Casa decidiu encaminhar ao Conselho de Ética a abertura de um novo processo por quebra de decoro parlamentar para investigar, desta vez, a atuação do senador em favor da cervejaria Schincariol. E o senador pode ter de responder, em breve, a um terceiro processo, encaminhado nesta terça-feira à secretaria da Mesa, e que pede investigação sobre a sociedade oculta que ele manteria em duas emissoras de rádio de Alagoas.

O pedido do caso Schincariol foi feito pelo PSOL e, mesmo tento um parecer contrário do advogado-geral do Senado, a Mesa mandou o Conselho fazer a investigação. A decisão foi tomada pro cinco votos a dois. Segundo denúncia da revista Veja, o senador teria intercedido a favor da empresa no Instituto de Seguro Social (INSS) e na Receita depois de ela ter pago R$ 27 milhões por uma fábrica de refrigerante de seu irmão, Olavo Calheiros (PMDB-AL), que estava prestes a fechar.