O presidente licenciado do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), deve anunciar nas próximas 24 horas a renovação de sua licença do cargo por mais 30 dias. A informação é de um senador da base aliada que acompanha as negociações em torno do processo em que o Conselho de Ética pede a cassação do mandato do parlamentar alagoano por quebra de decoro. A primeira licença, de 45 dias, vencerá na segunda-feira.

O senador da base aliada contou que Calheiros está sendo aconselhado a antecipar o anúncio da renovação da licença como gesto de boa vontade com o Palácio do Planalto, que teme que a abertura do processo sucessório no PMDB – para escolher o novo presidente da Casa – tumultue ainda mais o ambiente político em torno da votação da emenda que prorroga até 2011 a vigência da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF).

O senador avalia que o "gesto de boa vontade" vem em boa hora, uma vez que, ontem, Calheiros ameaçou reassumir a presidência do Senado caso fosse abandonado pelo governo e por seus aliados. Um amigo de Calheiros adverte que a possibilidade de ele reassumir o cargo é pequena, mas continua na mesa, e o presidente licenciado quer deixar claro que não está fora do jogo político e não aceita ser "rifado" pelo governo.