Brasília – O ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirmou que fez uma visita no último sábado (1º) ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). ?Fui levar a minha solidariedade de cortesia ao senador, inclusive como membro do partido?, disse o ministro, também é filiado ao PMDB.

Renan ainda está em dúvida, segundo Jobim, se irá ou não recorrer ao Supremo Tribunal Federal para que a sessão do Conselho de Ética que decidirá seu futuro político seja feita com voto secreto. Jobim disse que o senador pediu seu conselho sobre o tema, mas ele disse que não podia opinar, por não conhecer o processo.

Jobim disse que o senador está desgastado, cansado, mas confiante em relação a seu julgamento político. ?Cada dia tem sua agonia, e as agonias pelas quais ele passa são grandes?, relatou a jornalistas, após participar neste domingo (2) da cerimônia de troca da bandeira na Praça dos Três Poderes, que ocorre a cada primeiro domingo do mês.

?A única coisa que eu disse a ele é que esse assunto tinha que encerrar, precisa decidir logo. A grande vantagem do dever com a nação do Senado é encerrar ou seja fazer os julgamentos necessários e encerrar o problema?, contou.

Na sessão de quinta-feira (30), o Conselho de Ética do Senado decidiu realizar em aberto a votação dos três relatórios sobre a denúncia do P-SOL contra o presidente da Casa. Os relatores do processo contra Renan criticam a possibilidade de levar o caso ao Supremo, já que não vêem necessidade legal do voto secreto.