O senador Renato Casagrande (PSB-ES), um dos três relatores do caso Renan Calheiros (PMDB-AL), disse que o presidente do Senado terá cinco dias para apresentar novos documentos para a realização de uma perícia definitiva e conclusiva sobre o caso.

A informação foi dada hoje, em entrevista concedida à reportagem da Rádio Jovem Pan de São Paulo. "A Polícia Federal fez uma primeira perícia que foi inconclusiva. Eles (PF) precisam de mais documentos para poder fazer uma conclusiva", afirmou Casagrande.

Segundo Casagrande, o Conselho de Ética vai enviar técnicos do Senado para agilizar a coleta de documentos junto às secretarias estaduais da Fazenda e da Agricultura de Alagoas. O parlamentar falou que os dois quesitos principais definidos pela trinca de relatores são a veracidade dos documentos e a comprovação das operações, além da evolução patrimonial de Renan Calheiros.

"Nós estamos pleiteando que a Polícia Federal também faça essa avaliação, ou seja, se há compatibilidade entre a renda do presidente do Senado e o seu patrimônio", declarou. "Acho que são essas as questões principais que poderão responder às dúvidas que existem no processo".