Parlamentares que defendem a instalação de uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) para investigar fraudes em licitações de obras públicas descobertas pela Polícia Federal (PF) durante a chamada "Operação Navalha" conseguiram mais duas assinaturas de deputados no requerimento de criação da comissão.

Recentemente, os parlamentares já haviam apresentado o requerimento à Mesa Diretora do Senado, quando o documento contava com as assinaturas de 173 deputados – dois a mais do que os 171 necessários -, mas quatro retiraram os nomes, e a lista ficou com 169. Agora, com 171 assinaturas, o requerimento foi de novo protocolado na Mesa. Nesta terça-feira (19), assinaram o documento os deputados Paulo Pereira da Silva (PDT-SP) e José Paulo Tóffano (PV-SP). No Senado, o número de assinantes da lista são 30 – três a mais do que o mínimo necessário.

O fato de terem os defensores da CPMI conseguido novamente o número mínimo de assinaturas não significa, necessariamente, que a comissão será instalada. O líder do governo na Câmara, deputado José Múcio Monteiro (PTB-PE), informou que continuará trabalhando para convencer deputados governistas a retirarem seus nomes do requerimento.