Os restos do jornalista Tim Lopes foram enterrados, nesta tarde, no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap. Além de amigos e parentes, a governadora Benedita da Silva e o chefe de Polícia Civil, delegado Zaqueu Teixeira, acompanharam a cerimônia.

Tim Lopes foi torturado e morto por traficantes quando investigava denúncias de corrupção de menores em um baile funk na Vila Cruzeiro, na Penha, zona norte do Rio de Janeiro. Os ossos de Tim Lopes haviam sido encontrados em um cemitério clandestino usado pelo Comando Vermelho. Testemunhas ouvidas pela polícia afirmaram que o jornalista foi morto pelo traficante Elias Maluco, um dos maiores líderes da facção criminosa.

Exames de DNA confirmaram que os restos mortais, que chegaram a ser queimados pelos assassinos, eram mesmo do jornalista. O velório começou no sábado e se estendeu até às 16h deste domingo na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro.