O reverso do avião que colidiu contra um terminal de carga da TAM seria consertado na noite do acidente, de acordo com o vice-presidente-técnico de Manutenção da TAM, Ruy Amparo. A manutenção do equipamento não foi feita antes porque exige assistência técnica especializada, que está localizada apenas no Aeroporto Internacional de Congonhas.

"Por isso, estava na rota de Congonhas, para dormir ali e sofrer manutenção", afirmou, em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Apagão Aéreo, na Câmara dos Deputados. "Uma troca de pneus pode ser feita no Brasil todo, mas uma manutenção de reverso só pode ser feita em Congonhas".

A TAM afirma que o manual de instruções do Airbus indica que a manutenção de um defeito no reverso pode ser feita em até dez dias. Na terça-feira (17), dia do acidente, o aparelho estava sem uso havia quatro dias. Reverso é um equipamento de vôo que vai acoplado à turbina do avião, para auxiliar a reduzir a velocidade durante o pouso.