O governo do Rio Grande do Sul lança hoje a campanha do desarmamento no Estado. Além disso, o governador Tarso Genro e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso, vão assinar um acordo de cooperação que permite que os bens apreendidos com o tráfico possam ser utilizados no combate ao crime.

Além da possibilidade do repasse às polícias ou entidades ligadas ao combate às drogas, o acordo também permitirá que recursos obtidos através de leilões, bem como o dinheiro apreendido com traficantes, possam ser direcionados ao Fundo Estadual de Políticas Públicas sobre Drogas.

O Estado será o segundo a aderir à Campanha Nacional de Entrega Voluntária de Armas e Munições, do Ministério da Justiça. O primeiro foi o Rio de Janeiro. A aderência ao programa é consequência da mobilização do Comitê Gaúcho por um Brasil Sem Armas, que reúne uma série de instituições da sociedade civil organizada, em conjunto com a Secretaria da Segurança Pública (SSP) e a Polícia Federal.