Boa Vista – O governador de Roraima, Ottomar Pinto (PTB), anunciou que o governo do Estado tem um rombo de R$ 362 milhões. Munido de diversos documentos, Pinto disse: "Fizemos um levantamento preliminar dos últimos dez anos e encontramos estas irregularidades". Ele admitiu, todavia, que este número pode ser modificado, na medida em que os técnicos de várias secretarias façam levantamentos nas contas do governo de Roraima.

Dentre as irregularidades apresentadas depois de 90 dias de assumir o cargo por determinação judicial, está o desvio de R$ 1,3 milhão do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental (Fundef), da Secretaria de Educação, pasta à qual o ex-governador Flamarion Portela (sem partido) respondeu durante algum tempo durante a gestão do ex-governador Neudo Campos (PP). Há ainda a acusação de apropriação indébita (crime fiscal), de R$ 24,5 milhões do Instituto de Previdência do Estado de Roraima e do Imposto de Renda Retido na Fonte dos funcionários da Assembléia Legislativa, no valor de R$ 1,8 milhão.

Dentre as estatais, a que está em pior situação é a Companhia Energética de Roraima. Segundo documentos apresentados pelo governador, a empresa deve R$ 40,9 milhões. Deste montante, R$ 32,2 foram emprestados da Companhia Andina de Fomento para a eletrificação do interior do Estado, mas, segundo denúncia do governador, R$ 22,2 milhões não foram repassados à companhia. Por ser um estado sem boas estradas, o governo sempre manteve uma frota de aviões para atender à comunidade. Pinto disse que três aeronaves, modelo Bandeirante, encontram-se abandonadas no pátio da empresa Aerobase, em Brasília, há mais de nove anos. Ele ainda acusou o governo passado de ter vendido quatro turbinas dos Bandeirantes, segundo ele, com um prejuízo estimado de R$ 2,6 milhões. O governador garantiu que um helicóptero e um King Air também foram sucateados. O helicóptero, mesmo tendo sido liberado para vôo em 1999, após revisão pela Líder Signature, permaneceu no pátio da empresa até o início de 2004, quando foi leiloado por R$ 1,2 milhão.