Cerca de 100 taxistas do Rio de Janeiro promoveram no final da manhã desta quarta-feira, 08, um protesto pela proibição do uso de aplicativos de carona solidária no município. Em grupos que partiram da zona sul e do centro, os motoristas seguiram em direção ao Palácio Guanabara, sede do governo do Estado, em Laranjeiras (zona sul), e dali para a sede da Prefeitura do Rio, na região central.

Por volta das 16h30, representantes da categoria se reuniram com o secretário municipal de Transportes, Rafael Picciani, para discutir o uso desses aplicativos no Rio. O principal deles chama Uber e reúne motoristas que, sem licença para atuar como taxistas, combinam com vários passageiros e cobram para realizar trajetos. Como atendem várias pessoas, a corrida sai mais barata do que se a pessoa fosse sozinha de táxi.

Para oferecer e cobrar por esse tipo de serviço, no entanto, a prefeitura exige que o motorista seja cadastrado como taxista, o que não ocorre no caso dos aplicativos. Por isso, esse serviço é considerado ilegal pelo município.